Em meio ao caos político, um (anti) herói para o país: O Doutrinador.

Uma criança, com a camisa do Brasil ensanguentada por uma bala sem origem, assassinada pelo próprio sistema. Seria um retrato plausível para o país? Em meio aos caos político que assola o Brasil, cujos últimos meses protagonizaram um doloroso processo eleitoral, culminando com a vitória do fascismo, da censura e do fim das liberdades sociais,… Leia mais Em meio ao caos político, um (anti) herói para o país: O Doutrinador.

Amor, Liberdade e Escolhas em “Desobediência”

Dentre todas as instituições sociais, as religiões têm sido paradigmáticas no que concerne ao exercício e a vivência plena da liberdade de ser o que se é e amar quem se quer amar. Na esteira do mito criacionista, a ordem heteronormativa se consolidou como o estatuto universal das coisas – homens cisgênero* amam mulheres cisgênero… Leia mais Amor, Liberdade e Escolhas em “Desobediência”

Oito Mulheres e um Segredo

Esse filme é para aquelas meninas de 8 anos que, em algum lugar, sonham em ser criminosas. Vocês podem tudo! A espera acabou e finalmente  estreia (07 de junho) Outo Mulheres e Um Segredo (Ocean’s 8), spin-off e (versão mais empolgante) da trilogia Onze Homens e Um Segredo, agora com direção de Gary Ross (falarei disso adiante!). Com personagens… Leia mais Oito Mulheres e um Segredo

Mulher-Maravilha

Uma vida de espera por filmes de heroínas protagonistas que realmente ocupem esse espaço, pura e plenamente: A Heroína. Não um personagem passional secundário, ou uma protagonista desenhada para olhos (masculinos) famintos por imagens sensuais envoltas em lutas e ações, sempre sob a sombra de qualquer fragilidade a que facilmente se acostumou submeter às personagens… Leia mais Mulher-Maravilha

Cinquenta Tons Mais Escuros

Por Letícia Moreira Um desafio para as séries cinematográficas é conseguir criar sequências que superem os filmes anteriores, em especial quando a produção é baseada em um romance bestseller mundial e a expectativa dos fãs é gigante. Cinquenta Tons Mais Escuros conseguiu, sem muita dificuldade, superar a narrativa melodramática fraca e solta de Cinquenta Tons… Leia mais Cinquenta Tons Mais Escuros

A Mão que Afaga (curta/2012)

  Melodrama desconfortável, o curta da baiana Gabriela Amaral Almeida é um retrato angustiante da solidão nos tempos atuais. Faz cada vez mais sentido (re)ver esse curta de 2012 que seria bem cômico, se não fosse trágico. A Mão que Afaga é sobre presença (física), afeto e essência solitária. Gabriela Amaral constrói uma narrativa esvaziada… Leia mais A Mão que Afaga (curta/2012)